Pequenos bons garfos
É na mais tenra infância que se adquirem os bons hábitos alimentares. Ensine os mais pequenos a comer bem, escolhendo melhor

Garante-nos a sabedoria popular que “é de pequenino que se torce o pepino”. Mas no que toca a uma alimentação equilibrada e rica em nutrientes, esta pode ser também a altura de dar a provar este e outros legumes ao seu filho, juntamente com uma grande variedade de frutas. Afinal, nunca é cedo de mais para promover junto dos mais novos a adoção de um conjunto de hábitos nutricionais saudáveis que os acompanharão ao longo de toda a vida.

A altura ideal para o começar fazer é por volta dos dois anos, idade em que a maioria das crianças começa a desenvolver as suas preferências alimentares. Caso o seu filho tenha a tendência de escolher em demasia aquilo que vai comer e se mostre, não raras vezes, hesitante ou até desagradado perante a introdução de novos alimentos, não há, ainda assim, motivo para alarme. Esta é, de resto, uma fase em que os gostos dos mais novos se podem relevar particularmente volúveis, chegando a variar de forma imprevisível: o alimento favorito numa determinada altura pode já não ser apreciado nos instantes seguintes, ao passo que uma comida normalmente rejeitada se pode tornar o prato favorito, de um dia para o outro.

É certo que todos conhecemos casos de crianças bastante seletivas ou “esquisitas” na hora da refeição, muitas vezes reclamando não gostar de uma série de alimentos que nunca sequer provaram. Mesmo nessas situações, contudo, há que não desesperar. Certifique-se que tem sempre uma alimentação equilibrada para lhes dar, com as porções adequadas dos diversos grupos alimentares:

  • cereais e derivados e tubérculos.
  • produtos hortícolas
  • fruta
  • leguminosas
  • leite e derivados
  • carne, peixe e ovos
  • gorduras e óleos, tendo o cuidado de utilizar pouca gordura na confeção dos alimentos, evitando as gorduras saturadas.

Entre as refeições, experimente, por exemplo, pôr à disposição do seu filho alguns snacks saudáveis como pedaços de banana ou fatias de tostas integrais. Até aos quatro, cinco anos, porém, prefira alimentos de mastigação fácil, para evitar que a criança se engasgue.

Por esta altura, o seu filho já deve fazer também, pelo menos, as três refeições principais do dia, às quais se somam um ou dois lanches, durante a manhã e a tarde. E lembre-se que é importante que a criança faça as refeições em conjunto com a família.

 

Assim sendo, aproveite as dicas seguintes:

  1. Incentive uma alimentação equilibrada, distribuída em pelo menos três refeições principais e dois lanches por dia;
  2. Introduza legumes, verduras e frutas como parte integrante das refeições;
  3. Evite alimentos fritos e com excesso de gordura, preferindo assados, grelhados ou cozidos;
  4. Os doces e as guloseimas devem ser guardados para ocasiões especiais e excecionais, e não fazer parte da dieta habitual dos mais pequenos;
  5. Reduza a quantidade de sal, gradualmente, na comida;
  6. Habitue o seu filho a beber bastante água ao longo do dia, entre as refeições, para manter a hidratação do corpo;