Mãe, tenho febre
Não entre em pânico se o seu filho estiver com febre é um sinal de alerta do organismo que deve manter sob vigilância com a ajuda de equipamentos adequados.

Sejam ainda bebés de colo ou um pouco mais crescidinhas, é normal que o estado febril das crianças seja motivo de preocupação para os pais. No entanto, é possível monitorizar de perto a evolução deste sintoma, com recurso a dispositivos médicos que permitem saber, com maior exatidão, qual o valor da temperatura corporal dos mais pequenos, contando com o auxílio médico, sempre que a situação o exija.

Para verificar se o seu filho está com febre, e qual o valor da temperatura, não basta colocar a mão na testa. Tenha sempre à mão um termómetro. Tem várias soluções ao dispor, para todos os gostos e necessidades. É importante não esquecer que estamos perante uma situação de febre quando a temperatura retal é igual ou superior a 38ºC ou quando a temperatura axilar é igual ou superior a 37,4ºC.

Existem os denominados termómetros tradicionais, regra geral rigorosos, mas lentos, que apesar de já não conterem mercúrio, tendo este sido substituído pelo gálio, estão a cair em desuso por serem de vidro. Tenha em atenção, no entanto, que, antes de cada medição, é necessário confirmar que marcam a temperatura corporal normal (36,5º-37º C). Mais avançados tecnologicamente, há que contar também com os termómetros digitais, que são mais rápidos, igualmente rigorosos e fáceis de ler. E por falar em rapidez, nesta matéria, destacam-se os termómetros por infravermelhos, capazes de medir, em segundos, a temperatura no ouvido ou na zona da têmpora. No que toca a estes aparelhos importa, contudo, seguir a técnica indicada para obter o valor correto de medição de temperatura.  Por último, lembre-se de seguir à risca as indicações fornecidas por cada fabricante, e de manter os termómetros limpos e desinfetados, para não originar erros de leitura nem dar origem a contaminações caso a febre seja devida a um processo infecioso.

 

Tomar o pulso à febre

Consoante o seu tipo, os termómetros podem ser utilizados de diferentes formas:

  • Medição na testa ou têmpora – uma das formas de medição mais comuns, em que a temperatura é determinada a partir do calor emitido na zona da testa, onde se localiza a artéria temporal;
  • Medição retal – é a técnica mais adequada nos bebés. Coloca-se a criança de barriga para baixo, no colo ou numa mesa, lubrifica-se a extremidade do termómetro e insere-se no ânus, no máximo 2,5 cm, mantendo-o seguro entre os dedos da mão.
  • Medição oral – coloca-se a ponta do termómetro debaixo da língua e pede-se à criança que feche a boca. É importante que a criança permaneça relaxada, sem falar e seja capaz de respirar pelo nariz.
  • Medição axilar – coloca-se o termómetro na axila, verificando que toca na pele e não no vestuário;
  • Medição auricular – aplica-se a capa protetora no termómetro e insere-se no ouvido da criança, na direção do tímpano. É um método fiável desde que a medição seja efetuada corretamente, pelo que é crucial seguir a técnica adequada.