Bebé em casa – Bem-vindo bebé
São muitas as emoções que os pais sentem na hora de regressar a casa com um bebé nos braços. Emergem mil perguntas quanto à melhor forma de cuidar dele. É possível, no entanto, conquistar alguma tranquilidade se todas as questões forem pensadas com antecedência.

As incertezas concentram-se com frequência na higiene. Antes de mais, importa saber que a pele de um bebé é muito vulnerável – fina e menos resistente dada a escassez de fibras de colagénio e elastina, e mal protegida contra a desidratação e a secura porque as glândulas sudoríparas e sebáceas são ainda imaturas.

Esta fragilidade deve por isso ser respeitada com o uso de produtos próprios – hipoalergénicos, sem detergente, álcool, perfume e conservantes – para minimizar o risco de secar a pele e de alergia. Desde a primeira hora, o banho deve ser um momento de conforto – a água deve estar tépida e o bebé deve ser habituado progressivamente ao seu contacto. Os produtos a utilizar na higiene do bebé devem ser criteriosamente escolhidos. O creme lavante para o corpo deve ser aplicado suavemente e os cabelos devem ser enxaguados abundantemente.

Após o banho, há que secar com gestos suaves e uma toalha macia. Deve aplicar-se de seguida um óleo ou creme hidratante, aproveitando a massagem para mais um momento de intimidade com o bebé.

Há zonas mais delicadas que requerem cuidados específicos: os olhos limpam-se com uma compressa esterilizada embebida em soro fisiológico em unidoses, no sentido –orelha-nariz; o nariz também se limpa com soro e com a ajuda de uma compressa; nas orelhas limpa-se apenas a zona exterior do pavilhão auricular, sem usar cotonetes.

Nas primeiras semanas de vida, há que cuidar do cordão umbilical, para que seque adequadamente a salvo de infeções: após o banho deve-se aplicar álcool a 70º, sem cetrimida (uma substância que pode causar reações de sensibilidade nos bebés), com uma compressa esterilizada. É essencial deixá-lo ao ar, para que seque mais depressa, sendo desaconselhadas faixas ou ligaduras. 

Também o couro cabeludo pode necessitar de atenção particular: quando se forma a chamada crosta láctea – pequenas escamas oleosas e amareladas – que se amacia massajando com um óleo apropriado antes do banho. Existem ainda na Farmácia champôs suaves para o cuidado desta zona.

Uma tarefa que rapidamente se instala quando há um bebé em casa é a muda da fralda.

Aqui há que prevenir o “rabinho assado” (dermatite da fralda) resultante do contacto prolongado da pele com as fezes e a urina. Assim, é preciso mudar a fralda com regularidade, limpando a pele suavemente com uma compressa embebida em água morna ou com produtos de limpeza indicados, aplicando-se depois um creme protetor.

Biberões, tetinas e chuchas… A alimentação é outro dos domínios que gera alguma ansiedade. O leite é o alimento exclusivo nos primeiros tempos de vida, sendo consensual que a amamentação é o melhor para o bebé. Contudo, há situações em que utensílios como os biberões e as tetinas podem fazer falta.

A oferta é grande e à escolha deve presidir a segurança. Nos biberões a opção recai entre os de vidro e os de plástico: os primeiros são mais duradouros, embora possam lascar ou partir-se, enquanto os segundos são inquebráveis, mas deterioram-se mais facilmente.

Quanto às tetinas, é possível escolher entre as mais tradicionais de borracha e as de silicone. As de borracha são mais suaves, mas duram menos e, além disso, existe o risco de alergia. As de silicone são mais firmes e mantêm a forma por mais tempo, mas não devem ser usadas depois de os primeiros dentes começarem a despontar pois o material é menos elástico correndo o risco de romper libertando pequenos pedaços de silicone que o bebé não deve engolir.

Há várias formas de tetinas, das anatómicas às redondas, mas o mais importante é o orifício por onde flui o leite: importa que seja adequado à capacidade de sucção do bebé e à espessura do leite. Uma boa forma de avaliar é inclinar o biberão – devem sair apenas algumas gotas e não um fio contínuo.

Escolhas à parte, é essencial que biberões e tetinas sejam bem lavados e, se necessário, esterilizados, para que não sobrem resíduos de leite de uma refeição para a outra.

Finalmente, a chucha. Há que escolher em segurança: deve ser adequada à idade do bebé, ser constituída por uma peça única e ter buracos de ventilação. 

Entrar em casa com um bebé nos braços é o momento desejado por todos. E, com tudo preparado para o receber, será um momento desfrutado com toda a tranquilidade.