Vai-te embora, ó mosquito
Em tempo de férias, saiba como proteger-se e dizer adeus às incómodas picadas de insetos.

Para muitos, o verão é sinónimo de calor, para ser desfrutado na praia, no campo ou até mesmo na cidade. As roupas tornam-se mais leves e curtas e as crianças prolongam as brincadeiras à conta de mais horas de luz. Mas à medida que os dias se tornam mais quentes, pode surgir uma presença indesejada que importa repelir: os incómodos mosquitos, melgas e outros insetos que ameaçam o bem-estar, a boa disposição e até mesmo a saúde de miúdos e graúdos.

Para dizer adeus às picadas e à irritante comichão – que em alguns casos pode ser acompanhada de inchaço, vermelhidão e dor ou ainda, resultar numa reação alérgica mais grave – adquira um bom repelente e tome outras medidas para manter estes insetos à distância. Caso viaje para destinos tropicais, onde os mosquitos são também potenciais fontes de transmissão de doenças como a malária ou a febre-amarela, os cuidados devem ser redobrados.

Os repelentes são aliados imprescindíveis no combate às picadas de insetos, pois embora não os matem, evitam que estes se aproximem.

Que formas de repelentes existem?

Atualmente existem diversas apresentações de diferentes repelentes para satisfazer todos os gostos:

  • Pulseira, adesivo, solução tópica, toalhitas, roll-on, spray, stick, gel, creme ou loção corporal.

Estes produtos permitem proteger a pele durante algumas horas e são eficazes contra uma grande variedade de insetos, nos mais diversos ambientes.

Como e onde aplicar?

É importante respeitar as instruções de uso de cada repelente:

  • Aplique nas áreas expostas do corpo (braços, pernas, pescoço, face) ou na roupa, consoante o tipo de repelente.

  • Nunca aplique sobre pele irritada ou ferida.

  • Evite o contacto com as mucosas.

  • Renove a aplicação de acordo com a indicação de cada repelente. Em ambiente tropical é recomendada a renovação a cada 4 horas.

  • Se usar protetor solar e repelente, aplique primeiro o protetor.

Saiba ainda que existem repelentes próprios para crianças, e que estes devem ser sempre aplicados por um adulto. Nestes casos se os repelentes contiverem DEET ou Icaridina, não devem ter uma concentração superior a 10%, como é habitual nos repelentes para adultos.

Para se ver livre dos insetos, há que apostar na prevenção. O amanhecer e o entardecer são as alturas do dia em que há maior concentração de insetos, por isso evite sair durante esse horário, assim como andar em locais com muita vegetação e próximos de rios, lagos ou barragens. Prefira as roupas mais claras, de fibras naturais e justas ao corpo que cubram braços e pernas.