Um hálito fresco
É sabido que o mau hálito é desagradável e incomoda. Incomoda até mais os outros do que o próprio, porque o nariz se vai habituando aos diferentes odores, sobretudo quando eles se repetem dia após dia. Mas o olfato dos outros estranha, o que pode gerar algumas situações de constrangimento social. Afinal, qual é o colega ou amigo com “coragem” para dizer a alguém que tem mau hálito?

A halitose – assim se denomina este problema – é frequente, afetando cerca de 30% da população mundial e pode ter várias causas. Embora não seja um problema necessariamente causado por uma deficiente saúde oral, hábitos regulares de higiene da boca e dos dentes contribuem para o prevenir, estimando-se que cerca de 75% dos casos de halitose têm uma origem na boca.

Assim, é precisamente pela higiene oral que devem começar os cuidados:

  • Os dentes devem ser lavados pelo menos duas vezes ao dia, sendo que uma das vezes deve ser ao deitar
  • A escova de dentes deve ser mudada, de 3 em 3 meses.
  • Para complementar a escovagem deve ser usado fio dentário. Assim se eliminam os restos de alimentos dos dentes e gengivas, terreno fértil para o acumular de bactérias e o desenvolvimento da chamada placa bacteriana, causadora de múltiplas doenças da boca.

Estes gestos podem ser reforçados com o uso de um elixir – as suas propriedades refrescantes contribuem para um hálito mais fresco. O elixir enquadra-se nos chamados tratamentos mascaradores, estando na primeira linha dos cuidados recomendados a quem sofre ou pretende prevenir a halitose. Existem também disponíveis pastilhas e sprays que proporcionam uma sensação de frescura e mascaram a halitose.

Se, no entanto, estes cuidados não forem suficientes para disfarçar o mau hálito, a causa pode ser outra e como tal deve ser descoberta e tratada. Aconselhe-se com o seu médico ou farmacêutico.