O que importa saber sobre o Sarampo
O vírus responsável pelo sarampo é o Morbillivirus, sendo o Homem o único hospedeiro deste vírus.

 

Como se transmite a doença?

O sarampo é uma das infeções pediátricas virais mais contagiosas, transmitindo-se de pessoa a pessoa, por via aérea através de gotículas ou aerossóis. Isto significa que o vírus é contraído ao inalar as gotículas de uma pessoa infetada que se encontram em suspensão no ar depois de terem sido expelidas ao tossir, por exemplo. Uma vez que o vírus não sobrevive fora do hospedeiro a transmissão indireta (através do contacto com superfícies contaminadas) é rara.

 

Quais os sintomas?

Os sintomas iniciais do sarampo, que surgem ao fim de cerca de 7 a 14 dias após a infeção são:

  • Febre,
  • Congestão nasal,
  • Irritação na garganta,
  • Tosse seca
  • Vermelhidão dos olhos

2 a 4 dias mais tarde, surgem minúsculas manchas brancas (manchas de Koplik) na boca, nem sempre detetáveis.

Ao fim de 3 a 5 dias depois dos primeiros sintomas, o sarampo causa uma erupção na pele associada a uma comichão ligeira, sobretudo à frente e por baixo das orelhas e nos lados do pescoço. Esta erupção apresenta um aspeto de placas irregulares, planas e vermelhas que rapidamente vão aumentando em extensão. Após um ou dois dias, essa erupção espalha-se para o tronco, braços e pernas, e começa a desaparecer do rosto.

No pico do sarampo, o doente sente-se muito enfraquecido, a erupção é extensa e a febre pode ultrapassar os 40o C. Ao fim de 3 a 5 dias, a temperatura começa a diminuir e ocorre um alívio dos sintomas, nomeadamente, o desaparecimento das manchas.

O tempo de incubação desta doença é de 8 a 13 dias e o contágio pode ocorrer cerca de seis dias antes a quatro, cinco dias depois do surgimento das primeiras placas avermelhadas na pele.

 

Como tratar?

Atualmente o tratamento do sarampo tem como objetivo proporcionar conforto e alívio até os sintomas desaparecerem, o que pode demorar cerca de 2 a 3 semanas. Podem ser administrados medicamentos para diminuir a febre, sempre com o aconselhamento do médico, quando em crianças com menos de 3 anos e febres superiores a 39ºC. Se tiver dúvidas, aconselhe-se com o seu farmacêutico, ele saberá ajudá-lo e reencaminhá-lo para o médico, se necessário.

 

Como prevenir?

A vacina contra o sarampo é uma das imunizações que se fazem sistematicamente na infância, geralmente em conjunto com a vacina da papeira e da rubéola, fazendo parte do Plano Nacional de Vacinação.

A 1ª dose desta vacina é recomendada aos 12 meses e a 2ª dose aos 5-6 anos, antes da escolaridade obrigatória.

As pessoas não vacinadas e que nunca tiveram sarampo têm uma elevada probabilidade de contrair a doença se forem expostas ao vírus. Mas dada a sua transmissão exclusivamente inter-humana e a existência de uma vacina eficaz e segura faz com que o sarampo seja uma doença passível de ser erradicada. Em Portugal, segundo a OMS, o Sarampo foi considerado como erradicado em setembro de 2016, depois de mais de 36 meses sem a ocorrência de nenhum caso reportado.