Rugas: sinais do tempo…
Mais cedo ou mais tarde, quase todos os rostos são sulcados por linhas que indiciam a passagem do tempo sobre a pele. São as rugas, espelho do envelhecimento natural, mas também de fatores ambientais como a exposição excessiva aos raios solares e hábitos nocivos como fumar.

Com os anos, a pele vai perdendo a capacidade de se regenerar: assim acontece porque os tecidos vão ficando com uma estrutura menos coesa e com as células mais “envelhecidas”, tornando-se menos eficazes na retenção de água e consequentemente na manutenção da hidratação da pele. Daqui resulta uma textura mais seca, mas também menos firme e elástica porque ao mesmo tempo diminui a produção de colagénio e as fibras de elastina ficam mais ”lassas”.

Este é o terreno fértil para o desenvolvimento de rugas, linhas mais superficiais ou mais profundas que acabam por marcar sobretudo a pele mais exposta ao ambiente: a do rosto e pescoço e a das costas das mãos.

Em tempos consideradas sinónimo de sabedoria, as rugas são atualmente uma presença indesejada para muitas pessoas. Há quem com elas conviva bem, mas também há quem prefira disfarçá-las. É para estas pessoas que a dermatologia e a cosmética oferecem uma infinidade de soluções, desde os cremes antirrugas  às intervenções mais profundas.

 

… que é possível combater Nutrir e hidratar a pele são gestos de cuidado e de prevenção que devem ser adotados diariamente. Além disso, existem produtos específicos para o combate das rugas, os quais são normalmente formulados à base de substâncias antioxidantes. Já os dermocosméticos nutritivos contribuem para o equilíbrio lipídico da pele, reforçando a retenção de líquidos e, em consequência, retardam o aparecimento das rugas.

Quando estas já se encontram instaladas, a cosmética oferece algumas “armas” de ação mais intensiva, com tratamentos que vão dos “peelings” à dermoabrasão, passando pelos raios laser e terminando na cirurgia estética ou no preenchimento das linhas com colagénio ou ácido hialurónico, por exemplo. Todos estes procedimentos devem ser aconselhados e realizados por um médico especialista.

Contudo, idealmente devemos prevenir o aparecimento das rugas, o que passa por proteger a pele dos fatores externos que aceleram o envelhecimento. Assim, o ideal é evitar a exposição solar direta, mas, não sendo possível, é imperativo usar protetor, com um fator adequado ao fototipo e ao tipo de pele. A radiação a que estamos expostos diariamente, em países solarengos como Portugal, é o suficiente para contribuir para o envelhecimento cutâneo se não foram tomados os cuidados necessários. Não esquecer o uso de óculos de sol, com lentes adequadas: é que a pele em redor dos olhos denuncia rapidamente as agressões…

Não fumar é um gesto de saúde também no que respeita à pele, tal como ingerir água na quantidade recomendada (litro e meio a dois litros diários, para um adulto em condições normais de humidade, temperatura e atividade física) e fazer uma alimentação reforçada em fruta e vegetais, as principais fontes de vitaminas e antioxidantes.

As rugas podem marcar o rosto de qualquer um, surgindo em idades diferentes, até por influência da hereditariedade. Mas já não são uma inevitabilidade: na sua farmácia, ajudam-no/a a manter ou a recuperar a juventude da sua pele. Informe-se com o seu farmacêutico!