Manchas no feminino
São muitos os rostos em que se notam manchas com tonalidades entre o castanho e o cinzento.

Estas manchas podem representar um problema de pele muito comum -o melasma. Por vezes conhecidas como “manchas da idade”, identificam-se com o passar dos anos e com o acumular dos efeitos de exposição aos fatores que as desencadeiam.

É nas bochechas, na testa, na cana do nariz, na região superior dos lábios e no queixo que são mais frequentes, embora também possam marcar o pescoço e os braços. Nas peles mais jovens estão frequentemente associadas à toma da pílula contracetivas e à gravidez. Nas grávidas assumem outros nomes – cloasma ou pano.

Sabe-se que pessoas com pele mais escura e historial familiar têm uma maior probabilidade de vir a ter estas manchas, mas não se conhecem as causas exatas. Embora se perceba que certas células (melanócitos) em determinadas zonas estejam a produzir maior quantidade de pigmento, não se sabe exatamente qual a causa, apenas se conhecem alguns fatores que podem desencadear este fenómeno:

  • exposição solar
  • alterações hormonais como a gravidez, a toma da pílula e da terapêutica hormonal de substituição.
  • alguns cosméticos (quando causam irritação)

Muitas vezes o melasma desaparece espontaneamente. Assim acontece após o parto ou quando a mulher deixa de tomar a pílula. Quando as manchas resistem, é possível tratá-las com produtos adequados. Cremes à base de substâncias que contribuem para clarear e uniformizar o tom de pele são os mais indicados e estão disponíveis na sua Farmácia.

Uma arma importante na prevenção e no combate a estas manchas é o protetor solar. Sempre com proteção contra os raios ultravioleta A e B e com um índice igual ou superior a 15, o protetor solar deve ser aplicado diariamente, seja verão ou inverno.

As manchas não surgem, nem desaparecem, de um dia para o outro. Mas é preciso tratar e prevenir. A sua pele agradece.