Lidar com a Rinite Alérgica
A rinite alérgica interfere claramente com a vida social, escolar ou profissional dos doentes. Uma estratégia para prevenir e controlar os sintomas implica:

.              EVICÇÃO DOS ALERGÉNIOS – consiste em evitar, tanto quanto possível, a exposição às substâncias ou partículas que causam a alergia. Assim se é alérgico a:

  • Ácaros – para manter a casa livre de pó, prefira materiais laváveis, e elimine alcatifas e carpetes. No caso das crianças evite também bonecos de peluche. Controle a humidade.

  • Pólenes – evite saídas nos dias de mais calor, secos e com vento; mantenha portas e janelas fechadas nas horas mais quentes do dia.

  • Pelos e penas – evite o contacto direto com animais.

  • Bolores – use um desumidificador.

  • Alimentos – leia os rótulos com atenção, para identificar se contém ou não a substância a que é alérgico.

  • Medicamentos – informe-se com o seu médico e farmacêutico e leia o folheto informativo.

 

  1. TRATAMENTO – os medicamentos utilizados funcionam de forma distinta. Uns destinam-se ao alívio imediato dos sintomas, devendo ser tomados em situação de crise; outros visam a prevenção, pelo que são de toma regular, por períodos longos e continuados – tratamento de manutenção.

Quando indicado, após o diagnóstico, podem-lhe ser prescritas vacinas específicas (imunoterapia). Para saber mais, consulte o seu médico especialista.

 

De mãos dadas com a asma

Não tratar a rinite ou tratá-la incorretamente, pode abrir caminho a outras doenças, como a sinusite e, sobretudo, a asma: é que a rinite é um fator de risco para esta doença respiratória. Assim, sabe-se que:

  • muitos doentes com rinite também têm asma;

  • a maioria dos doentes asmáticos tem rinite.

Não se esqueça: controlar a rinite significa prevenir doenças mais graves. Aconselhe-se com o seu médico ou farmacêutico sobre quais os cuidados de prevenção adequados.