Hiperatividade – Crianças ao limite
Há crianças que parecem ter uma energia inesgotável. E outras que se distraem com facilidade. Mas há também crianças cujo nível de atividade e/ou desatenção é tão elevado que interfere com as atividades diárias: é assim a Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção (PHDA). Desconhece-se a causa exata, com a ciência a apontar para uma combinação de alterações ao nível do sistema de mensagens do cérebro, fatores ambientais e genéticos.

 

De acordo com os sintomas mais prevalentes pode ser dividida em 3 tipos:

  1. Desatenção: dificuldade em manter a atenção e concentração
  2. Hiperatividade e Impulsividade: dificuldade em estar sossegado, manter-se no mesmo local. Dificuldade em pensar e analisar as consequências das suas ações.
  3. Combinado: combinação dos tipos anteriores – desatenção, hiperatividade e impulsividade.

É quase sempre na idade pré-escolar que se manifesta, com maior incidência decomportamentos hiperativos nos rapazes e de défice de atenção nas raparigas.

Esta é uma desordem que afeta a aprendizagem e o desempenho escolar. Conhecer e saber lidar com ela é, pois, fundamental.

O desafio do diagnóstico

O diagnóstico desta perturbação é essencialmente clínico e complexo. Envolve a observação comportamental de um conjunto de manifestações características, em pelo menos dois ambientes distintos – casa e escola – pelo que a criança deve ser corretamente avaliada por profissionais habilitados. Só porque é irrequieta ou desorganizada, não significa que seja hiperativa.

 

Em equipa

Lidar com esta perturbação exige um verdadeiro trabalho de equipa entre profissionais de saúde, pais e educadores. O tratamento envolve uma componente comportamental e outra medicamentosa. O uso correto dos medicamentos é fundamental: visam, entre outros aspetos, melhorar a atenção e reduzir a impulsividade. O s resultados podem não ser visíveis de imediato, mas há que continuar a tomar.

A intervenção comportamental é igualmente importante:

  1. Crie uma rotina diária, com instruções fáceis de compreender e cumprir
  2. Ajude a organizar objetos
  3. Desdobre as tarefas
  4. Limite as escolhas, reduz os estímulos e facilita a concentração
  5. Defina metas realistas
  6. Recompense osprogressos
  7. Use a remoção de privilégios para punir os comportamentos negativos, em vez de ralhar ou bater
  8. Seja paciente
  9. Promova a autoestima
  10. Manifeste carinho