Herpes labial – uma infeção latente
Pequenas bolhinhas, dolorosas ou não, irrompem normalmente nos lábios ou na face. Mesmo quando ainda não se veem, existem alguns sinais que podem ajudar a identificar a fase inicial de ativação do herpes labial. De contágio fácil importa prevenir e tratar.

 

O herpes labial é uma infeção crónica causada pelo vírus herpes simplex. Um vírus altamente contagioso, cuja infeção é contraída muitas vezes na infância e no final da adolescência. Os sintomas da primeira infeção surgem uma a três semanas após o contágio, e desaparecem ao fim de sete a dez dias. Contudo, o vírus permanece no organismo, adormecido (latente), instalando-se nas células nervosas, à espera de ser reativado. Fatores como stress, doença, menstruação e exposição ao sol podem ser responsáveis pela reativação, mas nem sempre se consegue identificar a causa.

 

Lesões inestéticas

É nos lábios, ou em volta deles que geralmente se localizam as lesões típicas do herpes. Mas podem estender-se a outras zonas da face, como o nariz, o queixo ou as bochechas. Estas lesões identificam-se facilmente: isoladas ou em grupo, são pequenas bolhinhas (vesículas) cheias de líquido e emergem numa zona de pele vermelha e em relevo. A sua presença pode ser anunciada por comichão e/ou uma ligeira dor, um ou dois dias antes. Quando irrompem vão evoluindo até cicatrizarem: a bolsa acaba por se romper, ocorrendo a libertação do líquido, após a qual se forma uma crosta amarela.

Na Farmácia encontra profissionais habilitados a esclarecer qualquer questão sobre o herpes labial, sintomas e consequências e – muito importante – a informar sobre os cuidados que deve ter para evitar o contágio. Não hesite: informe-se com o seu farmacêutico!