Hálito fresco: 6 dicas
Sorria sem embaraço e não tenha medo de abrir a boca: o famoso mau hálito tem os dias contados.

 

O mau hálito, ou halitose, costuma causar embaraço e talvez por isso se fale pouco dele. Quem tem este problema pode nem saber que o tem e é provável que quem o rodeia evite dizer-lhe. Para quem sabe, já se tornou hábito não abrir a boca, evitando falar sobre o assunto. No entanto, não há qualquer razão para sentir vergonha. Afinal, estudos recentes indicam que cerca de metade da população portuguesa se debate com este problema.

Na maioria dos casos, a halitose é causada pela alimentação. Existem alimentos, como a cebola, o alho e algumas especiarias que após a digestão podem afetar o hálito. Além disso a acumulação de resíduos alimentares entre os dentes e na língua pode levar à multiplicação de bactérias, que causam mau odor.

Mas existem outras causas:

  1. Para quem fuma, o tabaco é um fator determinante a ter em conta.
  2. Outras causas estão relacionadas com infeções na boca ou boca seca, a toma de determinados medicamentos (antidepressivos) e hábitos insuficientes de higiene dentária que podem inclusivamente provocar gengivite e periodontite.
  3. Ainda assim, a lista de motivos está longe de ficar por aqui: acontece que há muitas causas possíveis para o mau hálito, que podem ir desde problemas de refluxo gastroesofágico, amigdalites, alterações intestinais, hepáticas, pulmonares e até mesmo doenças mais graves como alguns tipos de cancro.

Caso sofra de halitose, contudo, não desespere: é perfeitamente possível combatê-la e ter um hálito mais agradável. Desde logo, há que adotar hábitos de higiene oral frequentes e eficazes:

  • Lave os dentes após as refeições, ao levantar e ao deitar e não se esqueça de escovar bem a língua e usar sempre fio dentário.

  • Se usar aparelho dentário ou próteses dentárias, mantenha-as sempre limpas e desinfetadas.

  • Adote o uso de colutórios e pastas de dentes adequadas para reduzir a placa bacteriana.

  • Mude regularmente de escova de dentes (de 4 em 4 meses costuma ser suficiente).

  • Consulte periodicamente o dentista ou outro médico especialista para que este possa avaliar e acompanhar o problema.

  • Mantenha uma dieta adequada e evite alimentos e bebidas que possam provocar mau hálito.