Feridas ligeiras cicatrizar é preciso
Os acidentes fazem parte do dia-a-dia: o corte de uma faca, um prego que se espeta, uma esfoladela ou até uma dentada... O resultado é uma ferida, normalmente ligeira, mas a requerer sempre cuidados adequados para uma cicatrização sem marcas.

① A primeira preocupação deve ser isolar a parte do corpo lesionada. É importante limpar a ferida, com soro fisiológico ou, na sua ausência, com água corrente. Preferencialmente com luvas, ou caso não seja possível, lavando sempre as mãos para evitar a possibilidade de contaminação da pele devido ao contacto pele com pele.

Se houver hemorragia, há que travá-la, se necessário exercendo uma ligeira pressão com a ferida coberta por uma compressa. Dez minutos são suficientes, mas deve evitar-se espreitar: é que, de cada vez que a compressa é levantada, o sangue volta a correr…

③ Depois da limpeza, a desinfeção, com a ajuda de uma solução dérmica própria, disponível na Farmácia.

④E, finalmente, a proteção: se desejar e dependendo da extensão da ferida pode optar pelo uso de um penso, que cobre a ferida e protege a pele saudável.

Mesmo ligeira, uma ferida pode, por vezes, complicar-se. É essencial vigiá-la em busca de sinais de infeção: margens mais espessas, vermelhidão e inchaço, pus, dor e, por vezes, febre. Recorra então a cuidados médicos. Faça-o também se a hemorragia não cessar e se a ferida demorar muito a cicatrizar.

Importa ter sempre a vacina do tétano em dia: esta é uma infeção grave causada por uma bactéria que se encontra em dejetos de animais ou pessoas depositados em areia ou terra.

É, contudo, prevenível: através da vacinação, iniciada na infância, numa vacina conjugada que também imuniza contra outras doenças (Difteria e Tosse Convulsa). A partir dos 10 -13 anos a vacina, para o tétano e difteria, deve ser renovada de acordo com o seu boletim de vacinas. E proteja-se. Está sempre a tempo.