À mão de hidratar
Agarre a oportunidade de proteger uma das zonas do corpo onde a pele é mais agredida pelo frio. No inverno, mantenha as mãos debaixo de olho.

Há quem afiance que as linhas que se desenham nas palmas das mãos de cada um podem traçar as venturas ou desventuras que mais adiante lhes hão de surgir no caminho. Acredite-se ou não no seu poder de pressagiar o destino, porém, uma coisa é certa: outros traços há nas nossas mãos onde se pode ler, não o que o futuro nos reserva, mas as marcas que a passagem do tempo vai deixando nesta zona do corpo tão crucial para interagirmos com o que nos rodeia e, ao mesmo tempo, tão vulnerável às agressões externas do meio ambiente.

Se, com a chegada dos meses mais frios, sente que as suas mãos se começam a ressentir, não estranhe. Essa época do ano costuma ser particularmente hostil para o bem estar geral da pele e é natural que as extremidades do corpo sejam dos pontos mais fustigados pelos efeitos negativos da descida da temperatura e das condições meteorológicas mais adversas.

A culpa das suas mãos poderem ficar especialmente secas e gretadas ao longo desta estação não cabe, no entanto, exclusivamente ao choque térmico e às investidas do vento, lá fora. Pelo contrário, uma grande fatia de responsabilidade nesta matéria é devida à atmosfera que criamos nos espaços interiores para nos defendermos do frio. Afinal, as fontes de aquecimento caseiras, às quais mais tradicionalmente se recorre – ar condicionado, aquecedor, lareira, etc. – reduzem substancialmente os níveis de humidade do ar, uma das causas da desidratação da pele. E se esta é a fase em que a gripe e as constipações são uma preocupação generalizada, o facto de lavar as mãos mais frequentemente como forma de evitar o contágio pode ser outro fator a ter em conta.

A solução para este problema está literalmente ao alcance de todos, bastam algumas alterações na rotina diária:

❶  Fortalecer a barreira cutânea que resguarda a pele das agressões passa obrigatoriamente por reforçar os cuidados de hidratação e proteger as mãos das agressões externas, como o uso de luvas no exterior. Para além da necessidade de ingerir mais líquidos, há que aplicar creme ou loção hidratante e emoliente adequados ao seu tipo de pele, várias vezes ao dia e sempre que sentir necessidade.

❷ E se por questões de higiene não pode evitar lavar as mãos com maior frequência, faça-o com água tépida e não com água excessivamente fria ou quente. Opte ainda por um sabonete com pH neutro e uma composição suave para a pele, evitando esfregar as mãos na altura em que as seca e aplique um hidratante logo em seguida.