Cabelos e unhas saudáveis – Mais do que imagem
Um olhar pelos cabelos e unhas de alguém pode ser muito revelador sobre os autocuidados de uma pessoa. Mas, mais do que a imagem, podem ser um espelho do estado de saúde, pelo que importa cuidar bem destes dois componentes do nosso corpo.

Os cabelos, em particular, sofrem muito com as agressões externas e ambientais: o mais provável é que o sol, a água do mar e o cloro da piscina, durante o verão os tenham deixado frágeis, a requerer cuidados adicionais para recuperarem a beleza e saúde. Já no inverno, o frio e o vento também podem fragilizar o cabelo. Existem alguns pontos a ter em atenção:

① Uso de produtos adequados a cada tipo de cabelo, de forma a respeitar o equilíbrio natural e a protegê-los o mais possível. Na sua farmácia encontra diversos produtos adaptados a cabelos secos, oleosos, pintados, a couro cabeludo sensível, entre outros.

② Aprender a lavar, secar, pentear, nutrir e proteger o seu cabelo: Leia “5 Cuidados Essenciais para o seu cabelo

Vigiar a saúde dos cabelos, consultando um dermatologista se notar alterações no couro cabeludo ou queda de cabelo em excesso.

É natural que os cabelos caiam: todos os dias se perde cerca de uma centena dos 100 mil a 150 mil que há em cada cabeça. Faz parte do processo de renovação capilar, em consequência do qual há sempre cabelos em crescimento, em repouso e em queda.

As unhas são também um sinal de saúde, não apenas de beleza. São vulneráveis a agressões múltiplas: as das mãos sofrem com o uso intensivo de detergentes e outros químicos, as dos pés com a humidade e com calçado inadequado.

Cuidar, principalmente das unhas das mãos, passa, antes de mais, por prevenir os danos:

  • Não as usar como “ferramentas”
  • Protegê-las com luvas nas tarefas domésticas e de exterior
  • Não as roer nem puxar as cutículas
  • Mantê-las bem cortadas
  • Hidratá-las com regularidade

Quanto às unhas dos pés:

  • Mantê- las a salvo da humidade, pois potencia o desenvolvimento de fungos e, com eles, de infeções (micoses).
  • Cortá-las de modo a evitar que encravem
  • Evitar calçado apertado e afunilado.

Numas e noutras devem ser vigiados os sinais de doença: se ficarem descoloradas, mais espessas, quebradiças ou deformadas, importa consultar um dermatologista. Com o devido tratamento, recuperam a beleza e a saúde.